Destaque Home Campanha
MACROZONEAMENTO, ECOLÓGICO E ECONÔMICO DO ESTADO DE GOIÁS
25/06/2014 10h32 - Atualizado em 11/11/2014 11h38

Goiás tem sua economia baseada na agropecuária intensiva, o que tem gerado historicamente sérios danos ao meio físico-biótico, com reflexos na dinâmica socioeconômica. A vegetação do Estado de Goiás é predominantemente constituída pelo bioma Cerrado, que tem sofrido grande pressão ambiental, sobretudo a partir da segunda metade do século XX. É, também, neste bioma que se encontram as nascentes de três grandes bacias hidrográficas brasileiras: a do Amazonas, a do Paranaíba e a do São Francisco.

Diante da necessidade de promover o desenvolvimento com sustentabilidade, é cada vez mais relevante a noção de gestão integrada dos recursos naturais, e, por meio dela, é possível indicar, antever e prevenir os problemas ambientais, principalmente os decorrentes da ação antrópica. Diante dos desafios, surge como instrumento de planejamento e ordenamento territorial, o Zoneamento Ecológico Econômico (ZEE), com o objetivo maior de subsidiar a elaboração de macropolíticas territoriais, orientando os tomadores de decisão na adoção de políticas convergentes com as diretrizes de planejamento estratégico do país. 

Nesse intuito, o Governo do Estado de Goiás, por meio do Decreto nº 6.707, de 28 de dezembro de 2007, instituiu a Comissão Coordenadora do Zoneamento Agroecológico e Econômico do Estado de Goiás (ZAEE-GO). O ZAEE-GO será um instrumento de gestão com o objetivo de contribuir para a definição de áreas estratégicas para o desenvolvimento sustentável do território, orientando os investimentos do Governo e da Sociedade Civil segundo as potencialidades e fragilidades regionais.

O conceito adotado para o ZAEE-GO foi o de sustentabilidade, tendo como prioridade a preocupação com o meio ambiente, pois uma série de problemas globais decorrentes do desenvolvimentismo econômico-tecnológico danificou e danifica a biosfera, a vida humana e a diversidade cultural de forma alarmante, com possibilidade de se tornar irreversível. A este cenário soma-se a ameaça de escassez de água no planeta, o crescimento populacional e da pobreza em escala mundial, bem como a extinção de espécies animais e vegetais.

Para a execução dos trabalhos foram adotadas as diretrizes metodológicas do ZEE – Brasil. O Projeto ZEE terá necessariamente, quatro fases de trabalho:

Planejamento do Projeto, Diagnóstico, Prognóstico e Implementação das Ações, sendo que a primeira fase de trabalho foi a do Planejamento denominada de Macrozoneamento, Agroecológico e Econômico do Estado de Goiás (MACROZAEE-GO), que teve como objetivos a elaboração de quatro Produtos: primeiro Produto, elaboração do Banco de Dados Geográfico do MACROZAEE-GO; segundo Produto elaboração do mapa de Aptidão Agrícola do Estado; o terceiro Produto a atualização do mapa de Uso da Terra e Cobertura Vegetal do Estado e; o quarto e último produto a elaboração do Termo de Referência para a consecução das etapas seguintes, ou seja: diagnóstico, prognóstico e implementação das ações.

O Estado de Goiás já conta com importantes trabalhos sistemáticos atualizados, quais sejam: o Zoneamento Agroecológico da Cana-de-Açúcar, realizado pela EMBRAPA, o Mapa de Solos do Estado de Goiás, também de autoria do IBGE/EMBRAPA e; o Projeto de Identificação de Áreas Prioritárias para a Conservação da Biodiversidade do Estado de Goiás (PDIAP), realizado pelo Consórcio Imagem – WWF Brasil e o ZEE da Região Integrada de Desenvolvimento do Distrito Federal e Entorno (RIDE), recentemente lançado pelo Ministério do Meio Ambiente (MMA). Além dessas importantes informações, existem outros trabalhos de relevância no Estado que foram considerados para a realização do MACROZAEE-GO.

A partir da elaboração do Banco de Dados Geográficos do MACROZAEE-GO, no qual foram sistematizadas as informações existentes e disponíveis no Estado, em escalas variadas (1:1.000.000 até 1:250.000), foi possível elaborar o Mapa das Zonas Ecológico-Econômicas de Goiás. Para a elaboração desse mapa, utilizaram-se os indicadores obtidos do conjunto das variáveis sociais e econômicas, e das vulnerabilidades e/ou potencialidades naturais locais. Por meio da integração entre a vulnerabilidade natural e o desempenho social e econômico, obtiveram-se os índices ecológicos e econômicos, que podem ser utilizados como orientação da ocupação do território goiano.  Este estudo foi elaborado como um exercício essencialmente técnico, podendo ser indicativo, não tendo caráter restritivo e nem impeditivo.

 

Coordenação Geral do Macrozoneamento, Ecológico e Econômico do Estado de Goiás

Supervisão de Geoprocessamento / Seagro - Goiás

 

Acesse o SIG do Macro-ZAEE por meio do endereço: http://www.zee.go.gov.br/macro-zaee/

 



DADOS GEORREFERENCIADOS - Clique aqui para fazer o download dos arquivos.


RELATÓRIOS DOS PRODUTOS - Clique nos links abaixo para ler e fazer o download dos documentos:

Produto I - Sistematização de Dados Existentes em Uma Base De Dados Georreferenciada em Ambiente de Sistema de Informações Geográficas (Sig) e Suporte à Elaboração das Macrozonas Homogêneas

Produto III - Atualização do Mapa de Uso e cobertura Vegetal do Estado de Goiás

Produto IV - Elaboração do Mapa de Aptidão Agrícola das Terras do Estado de Goiás

Produto V - Elaboração do Termo de Referência do Zoneamento Agroecológico e Econômico do Estado de Goiás

 

MAPAS - Clique nos links e figuras abaixo para ver e fazer o download dos mapas:

Mapa das Macrozonas Ecológico e Econômicas

    

Mapa do Desempenho Socioeconômico

 

Mapa da Vulnera- bilidade Ambiental

         

Mapa do Uso da Terra e Cobertura Vegetal

 

Mapa de Aptidão Agrícola das Terras

 

 

SIEG coordenado pelo Instituto Mauro Borges de Estatísticas e Estudos Socioeconômicos - IMB © Copyright 2013 - Todos os direitos reservados - Desenvolvido pela SEGPLAN

IMB